30º DOMINGO DO TEMPO COMUM: SER GENTE!

24 Out

30º DOMINGO DO TEMPO COMUM: SER GENTE!

Jesus afirma que todos os seus ensinamentos e também o seu exemplo estão resumidos nestas palavras: "Eu vos disse todas estas coisas para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa felicidade seja completa". Assim, ele nos revela todo o plano de Deus. Ele assumiu a natureza humana e veio conviver conosco, para dar-nos a conhecer como todos nós devemos viver: COMO GENTE! Esta afirmação pode ser estranha para nós porque a ouvimos poucas vezes, ou, talvez, nunca a ouvimos. 

Mas, todos nós estamos cansados de viver num mundo onde as pessoas não aprenderam a ser gente e tratar o seu semelhante como gente. Valorizamos as pessoas pelas riquezas que não ganharam, pelo poder que usurparam do povo com suas promessas mentirosas, pelos diplomas que só Deus sabe como os adquiriram, e outras coisas materiais que nada acrescentaram a sua dignidade humana, ou ser gente, nem lhes ensinaram a respeitar a todos como gente. 

Provam esta triste realidade, as leis que elaboram os nossos governantes e o exemplo que eles nos dão, sem o menor respeito pelos direitos do cidadão; o mau uso da terra que, consequentemente, não pode oferecer os frutos que Deus queria que produzisse para que ninguém passasse fome; e a forma como tratamos as pessoas, como se fossem objetos descartáveis que não valem pela sua dignidade humana, mas enquanto nos servem para satisfazer a nossa ambição pelas riquezas, para manter-nos no poder, ou satisfazer os nossos caprichos. 


 

Diante desta lamentável realidade, Deus nos lembra que Ele criou o homem à sua imagem e semelhança, que, assim, Ele exige que seja respeitado, e que esta é a nossa missão aqui na terra. Na medida em que nos colaboramos para transformá-la no Reino de Deus, seremos merecedores de chegar ao Reino do céu. Por isso, o Senhor diz (Êxodo 22, 20-26): ''Não oprimas nem maltrates o estrangeiro, pois vós fostes estrangeiros no Egito. Não faças mal algum a viúva nem ao órfão. Se os maltratardes, gritarão por mim e eu ouvirei o seu clamor. Minha cólera, então, se inflamará e eu vos matarei à espada, vossas mulheres ficarão viúvas, e órfãos os vossos filhos". 


 

São Paulo, imitando o Mestre, nos dá exemplo. Ele diz: "Irmãos, sabeis de que maneira procedemos entre vós, para o vosso bem. E vós vos tomastes imitadores nossos e do Senhor, acolhendo a palavra com a alegria do Espírito Santo, apesar de tantas tribulações. Assim vos tomastes modelo para todos os fiéis de Macedônia e da Acaia"(1Tessalonicenses 1, 5-10). Ouvindo estas palavras, somos obrigados a perguntar-nos: Por que a maioria do jovens de hoje não podem ser exemplo para ninguém? 


 

Jesus resume toda esta mensagem respondendo a pergunta de seus inimigos: "Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento! Esse é o maior e o primeiro mandamento. O segundo é semelhante a esse: 'Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Toda a lei e os profetas dependem desses dois mandamentos". (Mateus 22,34-40) 


 

Este é o projeto de Deus. As Palavras de Jesus são claríssimas: "Toda lei e os profetas dependem desses dois mandamentos". A pergunta agora é evidente: Esta é a nossa religião ou inventamos outra? De fato, vemos que os mandamentos de Deus não combinam com as nossas leis. Por isso o mundo não é um paraíso! 


 

Monsenhor Antonio